Minha história

Como comecei e onde quero chegar

destaque

Minha história começou em Brasília, onde eu nasci e morei até meus 04 anos. Cheguei à São Paulo aos 07 anos, depois de morar em Cuiabá, onde tive meu primeiro contato com a bola.

Ainda pequeno, consegui demonstrar talento para o futebol e meu professor de educação física me incentivou a procurar um clube para treinar.

Já na adolescência, mesmo me destacando entre os meninos do clube, por diversas vezes eu fui impedido de jogar. Era o menor em estatura, eu tinha dois anos de atraso na idade óssea, por isso, com 14 anos eu tinha corpo de 12 e precisava competir com meninos da mesma idade! Comecei nessa época um tratamento com exercícios físicos e suplementação, e desde então não parei mais. Fui melhorando fisicamente e aos 15 anos, eu já tinha certeza que seria essa profissão que seguiria.

Com 18 anos, sofri um acidente descendo num toboágua, e fraturei a sexta vértebra. Fiquei com medo de nunca mais poder voltar a jogar, mas por um milagre consegui me recuperar em 2 meses e logo em seguida, entrei para o time profissional do SPFC. Minha estreia no meio da semana, no Morumbi, contra o Botafogo foi tão importante quanto os dois gols na final contra o mesmo Botafogo pelo Torneio Rio – São Paulo.

Chegando ao Milan em 2003, tive que me adaptar a um novo Clube em um novo pais com uma nova língua e longe de quem eu mais amava: minha família.

Aprendi que a derrota faz parte do jogo e que nós precisamos tirar o melhor dela.

Foi assim que eu tive forças para, depois de deixar escapar um Título na Champions League em que nós estávamos ganhando por 3 gols de diferença do Liverpool e depois da campanha da Copa do Mundo de 2006, onde chegávamos com grandes chances de ser campeões,  dar a volta por cima e fazer de 2007 o meu ano. Nele, conquistei todos os títulos coletivos e individuais que almejava e ainda consegui me firmar como uma referência na nossa Seleção.

Quando eu era jovem eu sonhava em me tornar jogador profissional pelo SPFC e jogar pelo menos um jogo pela seleção brasileira, apenas isso. Porém, a Bíblia diz que Deus tem mais do que podemos pensar ou querer. E isso foi o que aconteceu com a minha vida.

O que mais me motivou a começar a jogar futebol era o amor que eu tinha pelo esporte e o sonho de ser um ótimo jogador, além da diversão que era jogar com meus amigos, fazendo uma coisa que eu gostava. Graças a Deus essa motivação continua até hoje. Minha grande alegria é entrar em campo, isso é algo pelo qual eu tenho amor. Foi essa motivação que me trouxe até o Orlando, e é com ela que eu vou participar do crescimento e divulgação da MLS.

 

Ricardo Kaká